Você lê livros e/ou revistas extra concursos?

A advogada, blogueira e concurseira Raquel Monteiro compartilha sua experiência no mundo dos concursos.

Sabemos que a maioria esmagadora de concurseiros(as) se dedica integralmente às leituras, resolução de questões e revisões do material destinado aos estudos.

Temos conhecimento de que muitas pessoas têm muito pouco tempo para estudar. Ler livros e periódicos com atualidades pode lhes representar o gasto de um tempo de que não dispõem.

Entendemos que a vida moderna exige muito de nós e que somos bombardeados(as) com informações a todo momento. Assim, é muito frequente que as pessoas usem seu tempo livre para dormir, praticar esportes, estar com quem se ama, mas não para fazer leituras extracurriculares. Afinal, o cansaço faz parte da existência das pessoas.

Realmente, as atividades fora dos estudos de quem se prepara para concursos já são tão reduzidas, corridas e controladas, que inserir a leitura de uma revista semanal na rotina parece ser um sonho impossível e inexequível. Além disso, quem fica mergulhado(a) neste universo tende a deixar essas leituras – de papel ou eletrônicas – para depois da posse.

O que dizer de quem não gosta de ler? É até difícil entender quem não aprecia essa maravilhosa atividade, pois só quem já experimentou o prazer de viajar sem sair do lugar – e sem usar substâncias psicotrópicas – compreende a maravilha que é. É claro a falta de leitura remonta a experiências ruins, a uma falta de incentivo educacional, ao preço alto das obras literárias etc. Aliás, torcemos para que esses fatores fiquem, cada vez mais, no passado, pois a leitura transforma vidas.

E que vantagens um(a) concurseiro(a) pode ter lendo livros e textos não relacionados ao objeto de estudo? A resposta é bastante ampla! Os benefícios vão desde a ampliação do vocabulário, passando por um aprendizado da estrutura escrita, bem como a absorção de mais conhecimentos gerais, chegando a um domínio da interpretação de textos e da semântica. Portanto, só há benefícios!

Resumo da Ópera: é compreensível que, em momentos de reta final, não seja possível ler livros e outros textos que não guardem relação com o conteúdo programático do edital publicado. Reta final é, mesmo, um momento diferenciado e especial. No entanto, fora desse período delicado, quando em descanso ou lazer,  a leitura é uma grande pedida para enriquecer pensamentos e fortalecer sentimentos. Recomendamos muito fortemente que esse hábito muito salutar seja incorporado à vida das pessoas.

Se você quiser conversar comigo sobre essas e outras questões, siga-me no Instagram @concurseiro.solitario. Será um prazer!

Raquel Monteiro, é advogada pós-graduada em Direito Público pela Universidade Gama Filho, blogueira do Concurseiro Solitário. Já foi oficial da Marinha do Brasil e agora, todas as quintas, posta aqui no Master Juris as vicissitudes da vida de uma legítima concurseira carioca.

Artigos Mais Lidos:

Respostas

SITE ABERTO! TODO O CONTEÚDO pREMIUM DO MASTER JURIS 100% LIBERADO ATÉ 02/08!!!