Prova Oral: estratégias de como se preparar

Esta semana, o Ministério Público de Minas Gerais (MPE/MG) divulgou, em tempo real, em nome do princípio da transparência, a arguição/prova oral dos candidatos ao ingresso na carreira de promotor de justiça.

Foi diferente ver que todos usavam máscara para a prevenção contra o COVID-19. Ocorre que o que mais chamou a atenção foram os julgamentos dos internautas em relação aos examinados.

Alguns zombaram, mas muitos tiveram empatia e puderam imaginar a emoção de estarem nesta situação.

Sendo difíceis ou não, o fato é que as provas orais não podem ser desprezadas, pois são pré-requisito para ingresso em diversas carreiras públicas, como a Magistratura, a Defensoria Pública, por exemplo.

Embora muitas pessoas façam curso de oratória e tenham formação na área acadêmica, não se sentem muito confortáveis com provas orais. Funcionam muito melhor escrevendo. Não que seja por falta de preparo ou porque vão esquecer o tema.

Meu maior receio delas, frequentemente, é o de gaguejar ao tentar formular um raciocínio e ver a reprovação de perto. E vamos combinar: deve ser bastante frustrante se preparar tanto e não passar nessa fase. Pelo menos, sabemos que é possível, pois se existem aprovados (gente de carne e osso), é porque existe alguma técnica para se sair bem nesta etapa do certame.               

Como funciona a prova oral?        

As provas orais, geralmente, são constituídas de questões de pontos sorteados na véspera da sabatina. São feitas perguntas ou se pede ao candidato para discorrer sobre determinado tópico do conteúdo programático.

Esta forma de avaliação é muito comum em concursos públicos da área jurídica, mas podem ocorrer em outros de outra área. Tudo é uma questão da complexidade da atividade da carreira e de previsão no edital.

Em geral, esta é a última fase do concurso, a qual é realizada publicamente em um auditório. Uma banca composta de 3 ou 4 pessoas (isso pode variar) avalia o candidato. A Ordem dos Advogados do Brasil participa do corpo de examinadores. É nesse momento que se verifica a fluência do candidato na matéria, a postura como profissional, se ele tem capacidade de raciocinar sob pressão. Além disso, valoriza-se a capacidade de tecer correlações entre os aspectos estudados e o poder de síntese. Afinal, é preciso ter objetividade para atacar somente o cerne da questão.

Quais as orientações para ter sucesso em uma prova oral?

As orientações para ter sucesso em uma prova oral, segundo os especialistas, são as mesmas que as das provas discursivas.

1.Banca Examinadora

Convém conhecer a linha de raciocínio do examinador, pois ele tem  experiência prática da carreira e, provavelmente, vai trazer alguma pergunta relacionada a esta temática.

2. Linguagem Técnica

Além disso, nunca é demais ressaltar que se deve-se ser educado com o mesmo, fazendo uso do seu conhecimento em uma linguagem acessível, mas, ao mesmo tempo, técnica de modo a demonstrar que você internalizou bem o que estudou.             

3. Vestimenta

É um pouco redundante esta recomendação, mas é importante ressaltar que a vestimenta no dia deve ser condizente com o decoro da profissão a que você se candidata.

Portanto, vá de terno (homem) ou roupa social (mulher). Mulheres, deixem os decotes, transparências, saias curtas, maquiagens pesadas para o momento de lazer. Homens, deixem a calça jeans para o fim de semana! Cada coisa em seu lugar.      

3. Perguntas e respostas    

Se o examinador te surpreender com perguntas de cunho pessoal, não estranhe, pois pode ser que ele apenas queira contextualizar alguma pergunta.

Ademais, busque dar respostas bem completas quando dominar o assunto em questão. Quando não souber, busque, pelo menos, tangenciar a respeito.

Afinal, nem todas as perguntas costumam ser sobre as exceções do universo jurídico. A maioria delas versa sobre a prática diária profissional.       

4. Encare o medo de falar em público    

O medo que você sente, certamente, é do desconhecido, pois pode ser que esta seja a sua primeira experiência.

Uma dica que diversos candidatos aprovados em provas orais dão é a de participar bastante de audiências e de sustentações orais nos tribunais. Isso pode ajudar a quebrar a barreira de falar em público.

Resumo da Ópera

Não se sinta intimidado pela plateia, seja ela presencial ou virtual, pois eles são, na maioria das vezes, estudantes, parentes dos outros candidatos e futuros candidatos.

No máximo, o que vai acontecer é eles aprenderem com a sua experiência. Ademais, se eles te julgarem, não se importe porque é por pura inveja (risos). 

Gostou das dicas?

Continue acompanhando os artigos do Blog do Master Juris. Toda semana tem conteúdo novo sobre o mundo dos concursos públicos para aumentar seus conhecimentos.

Conta nos comentários: você tem medo das provas orais?

Se você quiser conversar comigo sobre essas e outras questões, siga-me no Instagram @concurseiro.solitario. Será um prazer!

Artigos Mais Lidos:

Respostas

  1. É triste ver a falta de empatia de algumas pessoas. Além do estresse já normal de uma prova oral, ainda há uma pandemia em andamento (o que intensifica o desconforto, seja por situações pessoais e até mesmo pela utilização de máscara pelos candidatos). Some-se isso ao fato de ser o primeiro concurso com transmissão ao vivo da prova oral pelo youtube, o que está mobilizando os concurseiros do país (sem prova em vista) a assistir.

    Que dê certo a todos, pois o pessoal desse concurso é super preparado e merece muito!

Master Juris + Pós-graduação

POR APENAS 12 x R$59,90 VOCÊ FAZ A SUA PÓS-GRADUAÇÃO JURÍDICA (são mais de 30 para você escolher) e ainda ganha acesso a TODOS os cursos do Master Juris por 1 ano. Chegou a hora de turbinar o seu currículo!