Ócio criativo: você sabe o que é?

A ideia do ócio criativo vem de uma teoria desenvolvida pelo professor e sociólogo italiano Domenico de Masi. Mas o uso corrente da expressão parece não acompanhar a mensagem original do autor. Vamos entender um pouco melhor essa história.

Afinal, qual é a teoria do ócio criativo?

A teoria do ócio criativo segundo Domenico de Masi, professor e sociólogo italiano, tem muito mais a ver com a ideia de o ser humano se valer da sua capacidade de ser multitarefas, do que de ficar a toa, de pernas pro ar, esperando uma possível inspiração chegar, como defendem alguns filósofos.

Para Masi, o futuro do trabalho na sociedade pós-industrial inclui a possibilidade de unificar estudo e lazer. A tese está consolidada em seu livro intitulado com a própria expressão "Ócio Criativo", de 2000. Nele, o teórico diz defender o conceito de equilíbrio entre o tempo de trabalho, lazer e estudo.

Contradições

O ócio criativo surgiu da crítica à forma de vida ocidental que idolatra o mercado e a competitividade. O sociólogo aponta que a atividade trabalhista representa apenas um sétimo da vida adulta, enquanto o tempo vago é composto por três vezes mais. No entanto, a saída apresentada por Domenico pode se tornar uma nova armadilha para seus adeptos.

A proposta é de que o avanço da tecnologia permite que a humanidade se liberte de tanto trabalho e aproveite melhor o tempo livre. Assim sugere uma redução drástica na jornada de trabalho, o fim do excesso de procedimentos nas companhias e defende com ardor o trabalho a distância. Opa, já conhecemos essa história por aqui!

A defesa do teletrabalho vem pelas observações do autor de que, mesmo com toda a tecnologia disponível, continuamos presos ao modelo de trabalho antigo. Horário para acordar, para comer, para voltar ao trabalho, para sair, para dormir... continuamos presos às determinações clássicas do empregador. E com todas as funções a cumprir - como livros de ponto para assinar ou procedimentos burocráticos a satisfazer - ficamos cada vez mais amarrados ao modelo tradicional de trabalho.

Mas será que misturar lazer e trabalho é a melhor solução?

Ócio criativo na sociedade pós-industrial

É verdade que a tese do ócio criativo é a de que na sociedade chamada de pós-industrial o homem não precisaria mais trabalhar de oito a dez horas por dia num escritório. A partir daí, Domenico defende que nosso tempo livre deveria ser melhor aproveitado. Aduz, inclusive, que essa nova prática deveria estimular as novas gerações para uma vida além do trabalho.

Apesar do avanço da tecnologia permitir que a humanidade se liberte do ambiente de trabalho, no intuito de aproveitar melhor o tempo livre, temos caído no extremo oposto. Pessoas viciadas em tecnologia, que não desenvolvem sua vida criativa por estarem presas às demandas "online".

A sugestão de misturar estudo, trabalho e lazer vem de um estudioso que, por amar o que faz, achou por bem unificar essas atividades. Mas convém perceber, antes de cair no canto da sereia, se esta seria uma possibilidade positiva para você. A autoanálise é sempre a melhor perspectiva para nossas escolhas. Trabalhar de casa, estudar na praia, conversar sobre trabalho nos encontros sociais. Tudo isso pode agregar. Mas será que seria sua libertação ou sua nova prisão?

Equilíbrio

O ócio criativo é radical, sugere uma redução drástica na jornada de trabalho, o fim do excesso de procedimentos nas companhias e defende com ardor o trabalho à distância. Mas é necessário avaliar o que tamanha mudança poderia gerar quando utilizada em massa.

Temos inúmeras profissões e perfis profissionais. Portanto a liberdade para pensar "fora da caixinha" é excelente, mas entender que esta seria a solução para a exploração do trabalho ou para uma qualidade de vida melhor não necessariamente é verdade.

O crescimento do número de pessoas multitarefas tem permitido, muitas vezes, uma exploração do trabalho ainda mais agressiva. E a busca por qualidade de vida tem possibilitado uma epidemia de doenças da alma, além de novos vícios e limitações pessoais.

Logo, se vale uma dica, seria: pause! Independentemente de como funcione a sua rotina, se você gosta do clássico modelo de trabalho ou das novidades da era tecnológica, apenas dê tempo para si. Desligue-se de toda a correria, tire um tempo pra repensar planos e projetos. Curta não fazer nada. E lembre-se: descansar o corpo e a mente é positivo e necessário.

Artigos Mais Lidos:

Artigos Relacionados

Respostas

Master Juris Premium

concursos jurídicos superiores
Planos de Assinatura
* Saudades do site antigo? Acesse-o aqui
close-link

Promoção de (re)Lançamento!

Assine o Master Juris Premium por apenas 12 x 59,90 (plano anual). Mais de 4.000 videoaulas, guias por carreira, rodadas de exercícios, correção de discursiva e até orientação para prova oral. 

Não perca. A promoção tem prazo limitado.
Ver Planos
close-link