Estudando por questões da FCC: Direito Administrativo

Leia neste texto alguns detalhes sobre as questões de Direito Administrativo da banca FCC.

Já estamos carecas de saber que estudar por meio da resolução de questões é muito útil. Mas é possível passar sem fazê-las? Sim, já tratamos disso em outros artigos e trouxemos alguns exemplos de sucesso.

No entanto, se você gosta de diversificar as formas de aprendizagem, as questões são uma boa forma de revisão. É assim que muitas pessoas têm feito na reta final para a prova do TRF da 4a Região, cuja banca é a Fundação Carlos Chagas (FCC), por exemplo.

Sabemos que só fazer questões é bom, mas, depois de um tempo, torna-se algo massante. Por isso que é bom diversificar, dar ao cérebro estímulos diferentes, reforçando o mesmo conteúdo.

Particularmente, considero uma boa estratégia, porque é possível vislumbrar como a empresa organizadora costuma cobrar determinados temas. Uma das matérias que merece destaque é Direito Administrativo, mais precisamente, Atos Administrativos.

Quando estudamos a doutrina, o assunto é super agradável. Há autores que escrevem de forma muito fluida sobre o tema. Ocorre que, quando resolvemos as questões da FCC, notamos que há uma série de minúcias que precisam da maior atenção.

Podemos observar, por meio da resolução de questões, que o tema de "Atos Administrativos" é cobrado de forma diferente, a depender da carreira. Um exemplo claro é que, se estivermos cuidando de um cargo de Administrador e de um cargo de Analista Judiciário - área Judiciária, a profundidade e o posicionamento doutrinário adotado será diferente.

Essa distinção fica ainda mais evidente no tratamento do mérito administrativo. Sabemos que o tema possui divergências entre diversos doutrinadores administrativistas. Então, se você estiver fazendo questões da área jurídica, poderá ver que as discussões a respeito do tema são mais detalhadas.

Além disso, constatamos que a banca costuma basear seus gabaritos, de forma mais específica, na obra de Direito Administrativo da professora Maria Sylvia Di Pietro para a área jurídica. Para as outras profissões, verificamos que os entendimentos adotados são aqueles mais unânimes entre os principais doutrinadores brasileiros.

Resumo da Ópera: longe de desejar esgotar o tema, apenas ressaltamos este aspecto para que vocês possam ficar atentos(as) quando forem estudar. Para verificar a procedência desta informação, basta filtrar questões por tema em algum site de questões e resolvê-las. Certamente, você perceberá esta filigrana tão importante para a aprovação.

Se você quiser conversar comigo sobre essas e outras questões, siga-me no Instagram @concurseiro.solitario. Será um prazer!

Raquel Monteiro, é advogada pós-graduada em Direito Público pela Universidade Gama Filho, blogueira do Concurseiro Solitário. Já foi oficial da Marinha do Brasil e agora, todas as quintas, posta aqui no Master Juris as vicissitudes da vida de uma legítima concurseira carioca.

Artigos Mais Lidos:

Artigos Relacionados

Concurso TJ RJ: tudo que você precisa saber!

Sobre o Concurso TJ RJ O (tão esperado) concurso do TJ RJ foi publicado no Diário Oficial no dia 27 de fevereiro de 2020. O…

Respostas

Espere!

Promoção
Volta às aulas!

Que tal estudar pagando pouco?

Faça uma assinatura anual do Master Juris pagando R$39,90 por mês. Pouco mais de 1 real por dia. Incrível, né? Aproveite, é por tempo limitado!

Combo Pós-graduação + Plano Anual Master
de R$1.438,80 por 12 x R$59,90 !!!