Aproveite as últimas horas da promoção.

80% de desconto no plano Anual.

  • 00 hrs
  • 00 min
  • 00 seg
Vendas: 0800 056 2480
account_circle Login | Registro

Não sinta medo de ir fazer prova

Olá, concurseiros! Ficaram sabendo que um número enorme de candidatos faltou às provas do concurso do Superior Tribunal de Justiça? Eu soube porque estive lá no Distrito Federal, no último domingo, para prestar o concurso e porque li a notícia no site do Correio Web. Minha sala estava bem vazia e pude perceber isso na prática.

Apesar de ter reservado minha hospedagem em Brasília, no Plano Piloto, fui alocada na cidade satélite de Taguatinga. Confesso que fiquei muito apreensiva e surpresa, pois sei que é um pouco distante. Além disso, eu teria que sair bastante cedo para poder chegar a tempo para a prova. Estava receosa em pegar algum engarrafamento.

Fiquei preocupada em gastar muito dinheiro com a minha estadia, mas felizmente meus temores foram infundados. Fiz minhas refeições em lugares com bons preços e dividi as corridas de Uber com outros concurseiros nos meus trajetos. Isso ajudou muito a controlar minhas despesas.

Em momento algum passou pela minha cabeça desistir de ir fazer a prova. Mesmo com os obstáculos que foram colocados pelo caminho, eu quis vencer cada um deles. A prova foi do Cebraspe, mas eu estou determinada a vencer destemidamente. Um dia eu vou conseguir, ainda que não seja no presente momento.

Da mesma forma que eu, sugiro que você não tenha medo de fazer as provas para as quais se inscreve. Digo isso porque sempre há como aprender alguma coisa importante prestando concursos, mesmo quando somos reprovados(as). Eu, por exemplo, já entendi que tenho que chegar na cidade (quando viajo para longe) na sexta-feira para poder me adaptar ao local e fazer a prova menos cansada no domingo. Não adianta chegar no sábado.

A prova do STJ veio difícil demais! No entanto, isso também não me desanima nem me apavora para a posteridade. Simplesmente, tenho consciência de que estou aprendendo a me capacitar por meio dessas experiências. Uma nota não define quem somos. Ela apenas sinaliza onde precisamos reforçar a preparação.

E olhando pelo lado frio dos fatos, eu já paguei a inscrição! Detesto jogar dinheiro fora. Prefiro ir lá e vivenciar aquele curto momento. São apenas poucas horas. O máximo que pode acontecer é ser reprovado(a). Nada mais que isso. Nada de pior vai acontecer. E a gente ainda pode se surpreender positivamente. Pode ser que não tenhamos ido tão mal assim.

Resumo da Ópera: não podemos deixar que uma prova defina quem a gente é. Somos muito maiores que aquele breve momento. Portanto, deixe o medo de lado, pois ele não tem razão de ser. É algo criado pelas nossas cabeças!

 

Sobre Raquel Monteiro

Raquel Monteiro, é advogada pós-graduada em Direito Público pela Universidade Gama Filho, blogueira do Concurseiro Solitário. Já foi oficial da Marinha do Brasil e agora, todas as quintas, posta aqui no Master as vicissitudes da vida de uma legítima concurseira carioca.

Ver Todos os Posts
Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Master Juris - Marca
 
 

MASTER JURIS - 2018. Todos os direitos reservados.